quarta-feira, 10 de maio de 2017

Quem fala demais dá bom dia a cavalo

Goya Bada


Muita gente criticou o juiz Ricardo Leite quando ele tomou o depoimento de Lula da Silva na 10ª Vara Federal, em Brasília, pelo crime de obstrução de Justiça.
Durante o depoimento, como se estivesse num botequim vagabundo, o salafrário contou piadas e disse que o Instituto Lula era uma espécie de Posto Ipiranga, que todo mundo procurava quando precisava de alguma coisa.
Muita gente achou que o patife-mor tinha botado o juiz no bolso e blá-blá-blá. 
Agora vê-se que o magistrado  deixou o bestalhão à vontade e usou o falatório para encurralar o falastrão: mandou fechar o antro de crimes chamado de Instituto Lula.
Literalmente, la maison est tombée e Lula teve bons motivos para passar a noite em claro nos ares sufocantes (para ele) de Curitiba. 
Afinal, reduzido a um reles sem-teto, vai chegar diante de Sérgio Moro completamente desmoralizado pelo despejo decretado por Ricardo Leite.
Já que todas as chicanas dos advogados (para tirar Sérgio Moro do caminho) foram recusadas pela Justiça, teve baba-ovo sugerindo apelar para um "boa-noite, Cinderela" e pegar um atestado médico para evitar o depoimento de hoje.
Por segurança, trouxeram um equipamento especial no jatinho, e Moro deverá autorizar que o depoente use durante a oitiva.

Goya Bada não é jornalista, é um doce
Postar um comentário