domingo, 9 de abril de 2017

Uma genética possante


Ciduca Barros

No vácuo do Viagra, e dos seus similares, muitas histórias já rolaram. Umas verdadeiras, outras nem tanto. É verdade que o citrato de sildenafila revolucionou o mundo masculino, atropelando o mundo feminino; trazendo também muitas fantasias no seu bojo. O texto abaixo conta mais um causo pitoresco.
Severino Barbado era um homem com mais de 70 anos nos costados. Sua velha já havia “amarrado o facão” e ele se virava com as mulheres ditas “da rua”. O peso da idade e outras mazelas não davam a ele aquele “levantamento” necessário. E daí? Então ele começou a usar o salvador Viagra. 
Um belo dia, acompanhado de uma jovem que tinha idade de ser sua filha, ele estava num motel. Devidamente “enviagrado” ele teve um desempenho sexual invejável. Após o embate, a garota entrou no banheiro e o velho Severino Barbado permaneceu, ainda despido, deitado na cama, exausto, mas feliz. 
A moça fez o que tinha para fazer no banheiro e quando voltou o que encontrou? O velho ainda estava “armado”. Geometricamente, o pinto do velho ainda estava com 90º. Admirada, a mulher exclamou:
– Caramba! Esse troço ainda está assim? O que é isto, meu senhor?
O velho mandou a sua memorável mentira:
– Isto é de nascença*, minha filha!

*Lá no sertão do Seridó, “nascença” é o mesmo que nascimento. 

Escritor, funcionário aposentado do Banco do Brasil e colaborador do Bar de Ferreirinha
Postar um comentário