quarta-feira, 12 de abril de 2017

Diarreias mentais - XXX

Apague a luz!

Apague a luz! 
Era a sua frase tremulantemente murmurada
Nos nossos momentos mais íntimos.
Esse pedido incomum me assustava. 
Por que tanto pudor, enfim?

Mas mesmo assim, nosso caso continuou
Por muitos anos ainda.
Apesar do seu recatamento
Por que tanto acanhamento?

Nosso sexo era intenso, pois o seu corpo fremia
Você resfolegava e suas mãos tremiam
Enquanto com uma voz sumida, você sempre pedia
Por favor, apague a luz!

Os seus orgasmos foram muitos 
Com seu pejo sempre presente
Por que tanta timidez?
Vergonha de ser fêmea?

A sua pudicícia sempre nos atrapalhou
Suas culpas e remorsos eram entraves reais
Aquela paixão que brotou
Sem o seu incitamento, broxou

Hoje, apaguei a luz para sempre
Fazendo a mim uma promessa:
Que o meu amor libertino 
Jamais macule a sua vergonha outra vez.

Postar um comentário