quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Diarreias mentais - XII

Racismo
Ciduca Barros
É do conhecimento geral que a Saúde Pública Brasileira está um verdadeiro caos, com as pessoas reclamando da demora do atendimento (isto quando conseguem ser atendidas) e da carência geral do sistema.
E quando o paciente, mesmo assim, se recusa a ser atendido?
Recentemente, um sujeito chegou num hospital público do Rio de Janeiro (RJ), queixando-se de fortes dores no peito, possivelmente consequências de uma crise de hipertensão arterial. 
No momento em que iria ser atendido, esqueceu o desconforto que a dor lhe causava e não se deixou ser examinado pelo médico sob a alegação de que aquele profissional era negro. 
E, grosseiramente, ainda declarou:
– Eu não gosto de crioulo!
Depois dessa forte dose de “diarreia mental”, chegamos à conclusão de que o abominável racismo é mais forte do que a dor física. 
Ou será que aquele imbecil não tem coração?

Postar um comentário