domingo, 30 de novembro de 2014

Lampeão e Maria Bonita




Ciduca Barros
Aquele seridoense de Carnaúba dos Dantas, profissional competente, pessoa do bem, bom pai de família e excelente amigo, gosta de falar sobre o nosso sertão, mas teve uma época que ele só falava em cangaço e cangaceiros. 
Estivesse ele no ambiente de trabalho, nas reuniões sociais, seja em qualquer lugar onde se encontrasse, sempre achava um espaço para falar sobre a sua obsessão – especificamente sobre Lampião e Maria Bonita. 
O cangaceirólogo (existe?) gosta também de tomar as suas geladinhas e, para isso, ele frequenta um determinado bar da cidade. 
O que ele não sabia era que o seu único assunto vinha azucrinando os seus amigos do bar. 
Eles não suportavam ouvir aquele mesmo tema. 
Daí resolveram armar uma história estapafúrdia com o objetivo de dar um choque no lampiólogo (epa!).
Naquele dia ele estava excitadíssimo. 
Não deixava ninguém falar. 
Ele não dava nenhuma chance para outros se pronunciarem.
E todo aquele frenesi tinha um motivo: ele tinha acabado de chegar de uma viagem ao Estado de Sergipe, precisamente da Fazenda Angicos, no município de Poço Redondo, onde, em 28.7.1938, a Polícia Alagoana emboscou e matou vários cangaceiros do mesmo bando, inclusive Lampião e Maria Bonita. 
Portanto, o dia estava perfeito para o tratamento de choque que os amigos haviam adrede tramado. 
Assim, quando o cangaceirólogo (vige!) deu uma pausa para tomar um gole da sua cerveja, foi a chance de alguém do grupo etílico, dirigindo-se aos demais, perguntar:
– Vocês sabiam que Lampião era corno? 
O fã do cangaceiro quase se engasga com a cerveja com tanto desrespeito ao seu ídolo. 
E com o calor da indignação tomando o seu rosto, perguntou:
– Pelo amor de Deus, homem. De onde você tirou uma história desrespeitosa dessas?
– Ele era corno, sim senhor! – ratificou o outro. 
E arrematou: 
– Maria Bonita tinha uma maneira toda particular de comer a cabroeira. Ela cantava um cangaceiro, e se ele se recusasse, ela dizia: “ou você me come ou eu digo a Lampião que você me deu uma cantada”. 
O cara, se não comesse, morria. 
O mariabonitólogo (essa doeu!) quase sofreu um ataque de apoplexia. 
A coisa piorou quando outro companheiro de bar, sem deixar o respeitoso fã se recuperar do choque, mandou:
– E tem mais, Lampião também era veado! 
O lampiólogo (ops!) ficou sem fôlego ao ouvir tanta falta de respeito aos seus ídolos. 
– Valha-me Deus! Donde saíram tantas mentiras? 
Daí, o caluniador resolveu também mostrar os seus conhecimentos sobre a preferência sexual do temido bandoleiro:
– Existiu um cangaceiro cuja alcunha era Pilão Deitado. Este apelido deveu-se ao fato de ele ser “bem dotado”. Pois esse cara era o “bofe” de Lampião. 
E completou: 
– Contam que, à noite, quando o Rei do Cangaço queria ser enrabado, dizia: “Benhêê, traga a sua mão-de-pilão e venha chafurdar nos meus quartos”. 

(*)Nota do narrador: Para as pessoas humildes e iletradas do nosso querido Seridó, “quartos” é um dos nomes atribuídos à bunda.

Simpatia


"SIMPATIA PARA TER SORTE NA LOTERIA FEDERAL:
Compre um bilhete e limpe a bunda com ele que, pelo menos, você acerta na cagada!"






Dentadas

"PEIDO FOI O ÚLTIMO ESFORÇO QUE O DIABO FEZ PARA VER SE O CU FALAVA".
                                                                                     *Caco Dentão*

Fora da lei educado


Chico Mulambo:bandido educado

E olha que ele nem era casado! Primeiro mundo é outra coisa mesmo!
A dona da casa só chamou a polícia porque ele deixou a tampa da privada levantada!

Pra quem investiu na Telexfree

Foto: Da série: "Anúncios de ocasião!"


Numerologia

2+0+1+4= 9
20 + 14= 34...... 3+4=7
9+ 7= 16..... 1+6= 7
9- 7= 2
7-2= 5
Pela numerologia tudo indica que:
1 + 1 = 3 (Se não usar camisinha!).

Classificados

Foto: Classificados:


Vizinhas

Quando Dona Helena empurrou com o pé a última caixa da mudança pra fora do seu apartamento, a Jéssica do 507 saía com a última caixa da mudança do apartamento dela nos braços.
- Não tá pesada não?
- Um pouco, mas é a última, dá pra carregar.
- O Seu Jonas tá te ajudando também? Vi umas caixas lá embaixo.
- Tá sim, ele tá colocando no caminhãozinho da mudança pra mim.
- Hum…
- Tá indo pra onde?
- Pro térreo.
- Não, pra qual cidade?
- Aqui mesmo, só estou mudando de bairro. E você?
- São Paulo.
- Segura a porta do elevador pra mim?
- Claro.
Eu não sei o motivo, mas Dona Helena sempre achou que a Jéssica fosse garota de programa. Ela era jovem, loira, tinha um sorriso bonito, olhos claros, magra e com seios fartos. Nunca viu ela com um namorado fixo, sempre com uns caras diferentes a cada final de semana. Essa mudança para São Paulo só poderia ser uma coisa: emprego na Rua Augusta.
- Tá indo a trabalho?
- É, o dinheiro está em São Paulo, né Dona Helena.
- É… o dinheiro…
- E porque a senhora está se mudando?
- Vou morar mais perto da igreja, o Alfredo encontrou uma casinha boa.
- Que bom.
- Sim, vou poder ir mais às missas.
- A senhora é bem religiosa, né?
- Sigo os conselhos do Pai.
- Do pai de quem?
- Do Pai, Deus.
- Ah, sim, Deus. Claro! Chegamos.
- Bem, foi um prazer encontrá-la, sucesso em São Paulo!
- Obrigada. Boa… missa pra senhora.
- Obrigada.
E cada uma tomou o seu rumo. Assim que os moços da transportadora descarregaram tudo, Dona Helena começou a abrir as caixas. Sua surpresa foi grande ao descobrir uma caixa trocada. Nela haviam livros de direito penal, leis, fotocópias, cadernos e um quadro com um diploma de advogada.
Já em São Paulo Jéssica ria muito com as amigas após abrir uma caixa que veio trocada. Nela haviam uns copos embrulhados em jornais, talheres, jarras, potes de plástico e um pau de borracha enrolado na base embrulhados em vários panos de prato.
O fato é que as duas ficaram muito surpresas com as vizinhas que tinham.


Origem das idéias

Foto: Vi no: https://www.facebook.com/BodegaCriativa


sábado, 29 de novembro de 2014

Papo furado

Foto: Mais bobagens publicadas, direto no: www.jacarebanguela.com.br

Propaganda enganosa

Foto: AHAHHAHAAHAHHAHAHAHAHAHAAHHAH (via Desenh4ndo)


Dentadas

" HOMEM ACHOU O CAMINHO DA LUA.MAS NÃO CONSEGUE
ACHAR UM LOCAL PRA GUARDAR LIXO".
                                                                                *Caco Dentão*

Dica

Foto: aehiueahiueaheaiuea


Menino danado

Foto


Declaração de amor

Foto: Sigam :: http://www.facebook.com/NATTHI.MORENA *-*-*
Sigam :: http://www.facebook.com/NATTHI.MORENA *-*-*


Consultoria

Consultoria financeira

Já me acostumei

Por Sandra Camurça...


Ela acorda, não a vejo mas posso sentir enquanto estou deitado aos pés da porta de seu quarto:  tenho  audição e olfato aguçados. Ela nunca me deixa dormir com ela, é assim todos os dias e eu até já me acostumei com isso.
Aiai que coceirinha! bem atrás do orelha. Suspiro fundo, fico ganindo, ela já sacou que eu estou pertinho, louco pra dar umas lambidas e mordidinhas.
Ela levanta, abre a porta, diz algumas palavras incompreensíveis. Sem entender muito bem, finjo que a compreendo olhando em seus olhos e pulo na sua cama. Ela gesticula com o dedo indicador em riste. Acho que se trata de uma ameaça. Deita novamente na cama e eu lambo seu rosto, pescoço, mãos, braços. Seu sorriso é uma demonstração de prazer, gosta desse meu jeitinho lambuzado de dizer bom dia. Aiai, lá vem ela novamente com palavras incompreensíveis, dedo em riste. Despisto, fingindo que não é comigo, deito e me aquieto até ela relaxar. Volto novamente a lambê-la e mordisco sua mão, tem um ossinho gostoso aí por baixo dessa carne, uiuiui! Vixe! dessa vez ela perdeu a paciência. Pulo pra debaixo da cama e fico ali até ela levantar e sair do quarto.
Já conheço alguns de seus rituais, se é que se pode chamar de ritual essa rotina de jogar água no rosto, trancar-se em um cubículo e depois sair enrolada num pano felpudo. Quando vai sair, passa uma espécie de bastão vermelho na boca, batom, é esse o nome. Ela me chama, eu olho em seus olhos, sinto ternura em seu olhar, dá um cheiro, muitos cheiros em meu cangote peludo. Abre a porta, eu fico em um canto da sala olhando firme em seus olhos com a esperança de um sinal, um aceno, desejando que ela me leve mas ela me olha novamente com ternura e sai de casa.
Foi-se mais uma vez.  Depois volta, como todos os dias. “Que tal um passeio?”. Urruuu! Enfim! Sou completamente dependente dela, mas fazer o quê? Eu não passo de um cachorro.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O preço da cerveja está pela hora da morte!

Com a chegada do verão, o calor aumenta e as grandes indústrias de cerveja do Brasil aproveitam para aumentar o preço.
Resultado: um cerva de 600 ml já está sendo vendida por R$ 6,00.
O paparazzi do Bar de Ferreirinha fez a foto com a prova do crime.
Veja só:

Dentadas

Ninguém deve desejar mal a ninguém, mas algumas pessoas deveriam reencarnar como papel higiênico.
Caco Dentão

Até a gaveta caralho

De maneira mútua

Por Lena Lopez .

De uma maneira mútua
Vamos juntos à loucura
Abusamos da luxúria
Para nós não há limites

Somos somente desejos
Dois corpos enlaçados
Com libido desenfreada
e total reciprocidade

Numa paixão alucinada
Permitimo-nos entregar
O que é de um para o outro
E o que temos de melhor

Fácil é quando se ama
Ter e dar prazer
Deixemos que o instante
Faça nossa vontade valer

Juntemos almas e corpos
Numa união de carnes
Repletas de pura lascívia
Sedentas por gozo e prazer!

Convite



De poste é melhor

Logica Infantil


Piadinha cu de muriçoca

O psicólogo pergunta para a loira:
- Você prefere o sexo oral ou o sexo anal?
E ela:
- O oral, é claro. É muito melhor de hora em
hora que uma vez por ano.

Seu Lunga de Saia

Pai Enganado


Símbolo


 O MAIOR SÍMBOLO DA DEMOCRACIA 
 
- Não é o PSDB;
- Tão pouco o PT;
- Nem o PP;

- Nem o PDT;
- Nem o PCdoB; 
- Nem qualquer outro partido... 
 
  ...Mas sim:

O FIO DENTAL!
 
Concluímos que o FIO DENTAL é o maior símbolo da democracia,
porque:
 
- Separa a esquerda da direita.
- Protege o centro.
- Faz mudar o ponto de vista de cada um. 
- Põe o povo todo a olhar para o mesmo objetivo.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O Galo se deu bem

5724e1863f2eee0d04d99416ffa96351


Acabou a festa



Comi demais


Por Fabrício Carpinejar

Tenho o péssimo costume de dizer que comi demais em toda a refeição. 
Além de ser um comentário desagradável, expressa minha incompetência em ser simpático na mesa. 
Comi demais. E realmente como demais e rápido. E me dá uma preguiça de falar. Uma vontade irresistível de bodear, de jiboiar, de sestear, de tirar uma pestana. 
Todo mundo rindo e querendo saber das novidades e eu já desejando pedir a conta.
Não sirvo para bater papo no almoço e na janta. Fujo de reunião e negócios em restaurantes. Sou uma criança de barba. Não espero nem a sobremesa. Quero ir logo para casa. Sair dali correndo.
Fico anti-social. Como e me estrago. Perco a paciência. Perco minha solidariedade. Minha generosidade.
Sou daqueles que ou come ou conversa. Não consigo fazer as duas coisas ao mesmo tempo.

 

Gatinho sacana