sábado, 29 de abril de 2017

Gente como a gente



Crime moral

Honoré de Balzac

“Nenhum código, nenhuma instituição humana pode
 prevenir o crime moral que mata com uma palavra.
 Nisso consta a falha das justiças sociais; aí está a
 diferença que há entre os costumes da sociedade
 e os do povo; um é franco, outro é hipócrita;
 a um, a faca, à outra, o veneno da linguagem ou
 das ideias; a um a morte, à outra a impunidade.”


Noticia que deverá suspender o conflito entre os Estados Unidos e a Coréia do Norte

Com dieta vegana Isabelle Drummond
diz não comer fritura nem beber
refrigerante.
Isabelle Drummond  (Foto: Johansson Correia)


Vizinho do congresso!



Viuvinha nova e seca

Uma jovem viúva"seca" e resolve ir a um sexologista que
 a aconselha a comprar um vibrador. Ela vai na farmácia
 e compra o dito cujo. Ela pergunta ao farmacêutico: 
- Como se usa isto? 
- É fácil! Faça como se fosse seu marido. É igualzinho... 
No dia seguinte ela volta a farmácia chorando: 
- Isto não funciona. Foi uma catástrofe... 
- Mas por que? Pergunta o farmacêutico. 


- Eu fiz como se fosse meu marido e o resultado é
que eu quebrei todos meus dentes da frente...

Sapo barbudo, o coitadinho



O bicho homem

Monteiro Lobato

“A natureza criou o tapete sem fim que recobre a superfície da terra. Dentro da pelagem desse tapete vivem todos os animais, respeitosamente. Nenhum o estraga, nenhum o rói, exceto o homem.”  

Essa Vespa fazia sucesso na década de 60



sexta-feira, 28 de abril de 2017

Hoje tem livro novo de Ciduca Barros


O escritor Ciduca Barros lança hoje o seu mais novo livro de causos No Banco do Brasil de Antigamente, a partir das 9h00, na sede social da AFABB-RN (Associação dos Funcionários Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil no Rio Grande do Norte), situada à Av. Floriano Peixoto, nº 616, Centro – Natal-RN.
Ciduca, batizado Francisco de Assis Barros, é o mais antigo e assíduo colaborador do blogue Bar de Ferreirinha.
O seu novo livro homenageia o centenário de instalação da primeira agência do Banco do Brasil no Rio Grande do Norte, precisamente em Natal, consequência da política de integração econômica nacional.
Por ela, o Banco do Brasil definiu a estratégia de marcar a sua presença em todos os estados do Brasil. 
A agência de Natal foi inaugurada no dia 14 de abril de 1917, um sábado, no prédio de nº 3, da Avenida Tavares de Lira (esquina com a Rua Chile), e o seu quadro funcional constava apenas de quatro servidores.
Assim como nos seus livros anteriores, o livro No Banco do Brasil de Antigamente narra as histórias cômicas ocorridas com clientes e funcionários do Banco do Brasil de outrora – inclusive fatos engraçados ocorridos em agências do Banco no Seridó Potiguar (Caicó e Currais Novos).
O livro tem 100 capítulos e mais de 150 causos, custa R$ 30,00 (trinta reais), acrescido de R$ 9,00 (nove reais) se houver custo postal, e poderá ser remetido para qualquer parte do país, com os pedidos efetuados através do e-mail: ciducabarros@hotmail.com
Sucesso, Ciduca, e reserve um exemplar para a biblioteca do Bar de Ferreirinha!

Infidelidade

Luiz Fernando Veríssimo
- Eu jamais fui infiel a minha mulher, doutor.
- Sim.
- Aliás, nunca tive outra mulher. Casei virgem.
- Certo.
- Mas, desde o começo, sempre que estava com ela, pensava em outra. Era a única maneira que conseguia, entende? Funcionar.
- Funcionar?
- Fazer amor. Sexo. O senhor sabe.
- Sei.
- No princípio, pensava na Gina Lollobrigida. O senhor se lembra da Gina Lollobrigida? Por um período, pensei na Sofia Loren. Fechava os olhos e imaginava aqueles seios. Aquela boca. E a Silvana Mangano. Também tive a minha fase de Silvana Mangano. Grandes coxas.
- Grandes.
- Às vezes, para variar, pensava na Brigitte Bardot. Aos sábados, por exemplo. Mas para o dia-a-dia, ou noite-a-noite, preferia as italianas.
- Não há nada de anormal nisso. Muitos homens...
- Claro, doutor. E mulheres também. Como é que eu sei que ela não estava pensando no Raf Valone o tempo todo? Pelo menos eram da mesma raça.
- Continue.
- Tive a minha fase americana. A Mitzi Gaynor.
- Mitzi Gaynor?!
- Para o senhor ver. A Jane Fonda, quando era mais moça. Algumas coelhinhas da Playboy. E tive a minha fase nacionalista. Sônia Braga. Vera Fischer. E então começou.
- O quê?
- Nada mais adiantava. Eu começava a pensar em todas as mulheres possíveis. Fechava os olhos e me concentrava. Nada. Eu não conseguia, não conseguia...
- Funcionar.
- Funcionar. Isso que nós já estávamos na fase da Upseola.
- Upseola?
- Uma por semana e olhe lá. Mas nada adiantava. Até que um dia pensei num aspirador de pó. E fiquei excitado. Por alguma razão, aquela imagem me excitava. Outro dia pensei num Studebaker 48. Deu resultado. Tive então a minha fase de objetos. Tentava pensar nas coisas mais estranhas. Um daqueles ovos de madeira, para cerzir meia. Me serviu duas vezes seguidas. Pincel atômico roxo. A estátua da Liberdade. A ponte Rio-Niterói. Tudo isto funcionou. Quando a minha mulher se aproximava de mim na cama eu começava, desesperadamente, a folhear um catálogo imaginário de coisas para pensar. O capacete do kaiser? Não. Uma Singer semi-automática? Também não. Um acordeom, quente, resfolegante... Mas, depois de um certo tempo, passou a fase das coisas. Tentei pensar em animais. Figuras históricas. Nada adiantava. E então, de repente, surgiu uma figura na minha imaginação. Uma mulher madura. O cabelo começando a ficar grisalho. Olhos castanhos... Era eu pensar nessa mulher e me excitava. Até mais de uma vez por semana. Até as segundas-feiras, doutor!
- E essa fase também passou?
- Não. Essa fase continua.
- Então, qual é o problema?
- O senhor não vê, doutor? Essa mulher que eu descrevi. É ela.
- Quem?
- A minha mulher. A minha própria mulher. Me ajude, doutor!

Desculpas

Pesquisa feita pela Universidade de Timbauba dos Batistas(UTB)
 durante todo o ano de 2016.Quando os funcionários foram
 perguntados sobre as desculpas mais absurdas que usaram,
 eles citaram as pérolas abaixo.
    - Não estavam sóbrios o suficiente para fazer o carro pegar.
    - Esqueceram que tinham sido contratados para o emprego.
    - O cachorro estava tendo um colapso nervoso.
    - A avó estava sendo exumada por causa de uma investigação policial.
    - O gato foi atropelado.
    - Estava com muito sebo na virilha.
    - Estava chateado após assistir mais uma derrota do Flamengo.

Perigo real



Dentadas

" Todo homem que trata uma mulher como

uma princesa é porque foi educado
jogando baralho."
Caco Dentão

















Fugindo da concorrência

Brasileiros vão ao Paraguai roubar 40
milhões de dólares, aqui a concorrência
é desleal.


Nova casa da moeda



Coito

Ferreira Gullar

Todos os movimentos
           do amor
           são noturnos
mesmo quando praticados
           à luz do dia

Vem de ti o sinal
           no cheiro ou no tato
que faz acordar o bicho
           em seu fosso:
           na treva, lento,
           se desenrola
                     e desliza
em direção a teu sorriso

Hipnotiza-te
com seu guizo
                     envolve-te
em seus anéis
corredios
                     beija-te
                     a boca em flor
e por baixo
           com seu esporão
           te fende te fode

           e se fundem
           no gozo

depois
desenfia-se de ti

           a teu lado
           na cama
           recupero a minha forma usual.

Chegou o socorro

Pbi8BjI


quinta-feira, 27 de abril de 2017

Diarreias mentais - XXXII

Uma excrescência partidária

O Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, denominado Fundo Partidário, é constituído por dotações orçamentárias da União, multas, penalidades, doações e outros recursos financeiros que lhes forem atribuídos por lei. 
Ou seja, quem banca o Fundo Partidário são os caros impostos do esbulhado e sofrido povo brasileiro.
Ouvi uma certa Senadora da República defendendo a permanência dessa excrescência política, mentirosamente afirmando que: “quem financia o Fundo Partidário é o regime democrático”. 
Pura e simples “diarreia mental”, doutora senadora.
Não é a "democracia" quem financia o processo político brasileiro e sim o dinheiro do contribuinte, em detrimento das nossas sérias e seculares carências em educação, saúde, segurança, etc.
Vocês pensam que essa “diarreia” para por aqui? 
Errado!
Agora, os nossos geniais políticos estão reivindicando ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorização para utilizar dinheiro do Fundo Partidário no pagamento de multas devidas pelo uso indevido dos recursos do Fundo Partidário.
Entenderam? Eles (os políticos) usaram erroneamente o nosso dinheiro transferido para a “excrescência partidária” e foram multados por isso. 
Então, agora, aquelas cabeças pensantes, querem pagar as multas com os próprios recursos  da “excrescência partidária”. 
Entenderam? Ainda não? Já que estamos falando de “diarreias”, vamos falar numa linguagem lá de “nóis”: é o mesmo que cagar, e limpar o cu com a merda.

Noticia que muda quase tudo na Reforma da Previdência

Luciano Huck e Angélica se
despedem do feriado com 
uma dancinha.
Angélica e Huck se despedem de feriado com dancinha; vídeo (Reprodução/Instagram)


Será trapaça?

Políticos batendo uma bolinha.
serah_q_isso_eh_trapaca


Dentadas

Ninguém pode vencer por você. Acredite: só você pode vencer os obstáculos que surgem no seu caminho.
Caco Dentão

O cliente sempre tem razão



Lições de vida

Everaldo dos Santos

É muito comum ver pessoas com problemas emocionais, como a depressão, por exemplo, mas de um ponto de vista superficial, acredito que a maioria dos casos são apenas maneiras duras de reconhecer o que a vida está querendo ensinar.

Uma frustração, decepção, desentendimento, perda, são oportunidades que a vida nos dá para aprender algo que é importante para nós, e, por isso, não deveria ser visto como um castigo.

Acredite, toda situação tem um lado bom e por mais trágica que seja, é possível extrair algum conhecimento disso. Então, questione-se, permita-se ver as situações com outros pontos de vista, pois para qualquer lugar do Universo, existem inúmeros caminhos.

E como num passe de mágica, você estará pronto para mais lições da vida, essas que não vão mais lhe atormentar, porque você aprendeu a aprender e deixou de se martirizar.

Ladrões burros

PARECEQUEOJOGOVIROU


Inevitável

Isabel Machado

Inevitável foi o toque
a procura
a consumação da loucura
a transformar nós dois
em um.
Nada foi comum
Tudo foi vital
anormal...
dentro da normalidade contida
no ato.
Inevitável foi o tato
e meus seios foram teus
... tudo... o corpo todo
sentiu-te em gula
nas entranhas
nas loucas manhas
da manhã-festim...

Inevitável
tatear-me em falso
pra sentir-te pleno
em mim...

Protesto

unnamed


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Papo ninja na cama

Um cara estava numa transa louca com uma gata,
de repente para tudo e pergunta:
-Gata você não tem Aids,tem?
-Claro que não,responde a gata.
-Ainda bem,eu não quero pegar essa porra de novo.

Corno engole tudo

Imagem relacionada


História de trancoso

Era uma vez um Tetéo que cansou da vida na zona rural.
Foi morar em Caicó.O calor estava foda.O Tetéo desmaiou.
Um cachorro mijou em cima dele.O Tetéo ficou legal.
Começou a cantar.Um gato ouviu e comeu o Tetéo.
Moral da história:
1-Nem sempre aquele que mija em cima de você é seu inimigo.
2-Nem sempre aquele que lhe ajuda é seu amigo.
3-Nem sempre é bom cantar.Conserve o bico fechado.



Irmão escroto

Imagem relacionada

Bibica condena onda de violência na Venezuela


636282312085473394mO empresário Bibica di Barreira condenou a onda de violência na Venezuela. Esta semana, três pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas em protestos em Caracas e cidades de 14 estados do país.Em nota,Di Barreira “reitera a urgência de as autoridades venezuelanas adotarem medidas para garantir os direitos fundamentais e preservar a paz social”.
“É imperativo que a Venezuela retome o caminho da institucionalidade democrática e que seu governo defina as datas para o cumprimento do cronograma eleitoral, liberte os presos políticos e garanta a separação dos poderes constitucionais”, diz o texto.

Quenga barata

Resultado de imagem para TIRINHAS DOIDAS