quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Diarreias mentais - XVI

49 anos de escravidão

A Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, reza em seu Art. 1º - “É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos. No Parágrafo Único, que trata de “garantia de prioridade”, no Inciso I diz que o idoso (acima de 60 anos) terá um “atendimento preferencial, imediato e individualizado”. 
Vejamos a incoerência. Como pode a proposta de Reforma da Previdência estipular que o sujeito só poderá se aposentar depois dos 65 anos de idade, se, 5 anos antes, conforme o Estatuto do Idoso, ou seja, com 60 anos, ele já é considerado velho e cansado para entrar numa mera fila? 
Vocês se lembram do filme de drama épico e histórico intitulado “12 Anos de Escravidão”, uma autobiografia de Solomon Northup, um negro livre americano que, em 1841 foi sequestrado e vendido como escravo? Na condição de escravo, Solomon trabalhou durante 12 anos nas plantações do estado de Louisiana até ser libertado. Em 2014, este filme teve 9 indicações ao Óscar e arrebatou 3 prêmios.
Puta bobagem. Contando a história de um cara que passou apenas 12 anos na escravidão o filme ganhou três Óscares?   
Façam uma ideia quando, daqui a algum tempo, começarmos a contar a história de brasileiros e brasileiras que mourejaram durante quase meio século em empregos mal remunerados, sem assistência médica, sem segurança e sem educação para seus filhos? 
Vão chover Óscares!