terça-feira, 21 de abril de 2015

Os marcos do calendário caicoense


Fernando Antonio Bezerra
As civilizações mais organizadas definiam seus próprios calendários. O Seridó é uma nação avançada e Caicó, como sua capital, tem um calendário peculiar. Lembro-me, particularmente, que o calendário caicoense até o início dos anos 80 era, mais ou menos, dividido da seguinte forma: férias no sítio; início das aulas; Carnaval; Semana Santa; novenário de maio; São João; Festa de Sant´Ana; luar de agosto; Sete de Setembro; Festa do Rosário; provas finais e recuperação; Natal e Ano Novo.
Evidentemente que outros fatos e eventos permeavam os principais acontecimentos do ano, a exemplo dos jogos escolares, gincanas culturais, a mais bela voz, escolha da miss, grandes bingos, campeonatos de futebol, manhãs de sol no Itans, festivais de chopp, cantorias, exposição agropecuária, vaquejada, chegada de circos, rifas e bacará... Mas, o ano tinha, mais ou menos, um calendário definido e em torno das maiores datas nos organizávamos. 
Evidentemente que o inverno era – e continua sendo – um importante marco para o calendário anual do caicoense. Antes, porque corríamos pelas ruas tomando banho, disputando biqueiras ou, nas primeiras sangrias, caravanas se formavam em direção ao Açude Itans e aos sítios. Havia uma farta alegria manifestada nas mesas, risos e mergulhos. Hoje, sem o inverno, não sabemos para onde ir!
Até o início dos anos 80 a agropecuária era mais representativa para a economia local. Aliás, segundo o IBGE, em 1980 Caicó tinha 40.030 habitantes, dos quais 9.202 residiam na zona rural. Em 2010, a população rural limita-se a 5.248 pessoas em um universo estimado de 62.709 habitantes. O meio rural, portanto, já interfere menos no calendário caicoense. Infelizmente! Ademais, outras mudanças ocorreram o que, consequentemente, refletiram nos costumes e no planejamento anual das famílias e das instituições.
Janeiro, por exemplo, não era, como hoje, tão marcado pela ocupação do litoral pelas famílias caicoenses. O mês de janeiro significava, para muitos, o retorno às raízes ainda fincadas no meio rural, inclusive, para centenas de estudantes que regressavam para suas famílias, ainda residentes nos sítios e fazendas, no recesso escolar.
Outro momento de destaque no calendário caicoense é o Carnaval. A partir de 1989 o Carnaval passou a ter bandas nas ruas, à tarde em frente ao antigo Hotel Vila do Príncipe; à noite, no cruzamento das avenidas Coronel Martiniano e Seridó. Entretanto, ainda persistiam os blocos organizados e as festas nos clubes de Caicó e região. Acabava por ali o corso carnavalesco que ocupou, por muitos anos, as tardes de Carnaval na Avenida Coronel Martiniano. Por alguns anos as Escolas de Samba também desfilaram (Unidos da Nova Portela e Unidos da Vila do Príncipe). Os blocos de ala-ursa já existiam, mas sem a dimensão que hoje tem o extraordinário Bloco do Magão. Em um ou outro formato, Caicó sempre realizou grandes carnavais.
Na Semana Santa, havendo bom inverno, os sítios logo eram ocupados pelas famílias. Comidas tradicionais e penitências próprias do período marcavam a Semana Santa que, de fato, era celebrada a partir da quarta-feira de trevas.
O ano não era uma simples sucessão de meses, como ocorre em outros lugares do Brasil, mas de marcos festivos ou de acontecimentos culturais que, realmente, pautavam a vida caicoense. Vamos conversar mais sobre o assunto. Ainda faltam relacionar várias outras referências do calendário caicoense.
Sei que o tempo muda e, naturalmente, os cenários, personagens, posturas e hábitos se transformam. Não tenho tanta idade. Imagino estar no meio da caminhada, mas as lembranças que cultivo já fazem minha alma saudosa de coisas que vivi e, de outras, que apenas ouvi.
Fernando Antonio Bezerra é seridoense de Caicó

Piadinha cu de tabelião

- Qual é o seu nome?
- Jonlêno
- Putz! De onde sua mãe tirou este nome?
- Dos 'Bitus'.

Progredindo na vida

Ivar Hartmann

Esta é uma frase bem brasileira: fulano venceu na vida. Ou seja, fulano, pelo seu trabalho (talvez até com um pouco de sorte), cresceu na escala social (algo absolutamente exigido na sociedade de consumo). Porque isto nos importa? Coletivamente porque o crescimento de um indivíduo ajuda o crescimento global da sociedade. Um trabalhador (patrão ou empregado) produtor de riquezas, via impostos e consumo, reparte-as com seus concidadãos. Particularmente porque a prosperidade nos faz (ou deveria fazer) mais felizes e aumenta (sem dúvidas) nosso bem estar social. Nas sociedades comunistas, sabe o leitor, aproveita o bem estar apenas à elite dirigente que governa com censura à imprensa, enquanto seus súditos ou escravos (este o termo certo) não tem direito à propriedade, ao ir e vir, e nem à própria vida porque, na medida em que um estado se torna policial, o ser humano é apenas um numero que basta apagar dos registros. Com legislativos que usufruem e obedecem ao ditador, temos um retrato do comunismo e do nazismo, irmãos siameses, queiram ou não os adeptos do PCB.
Ao contrário, como dizia, na democracia o indivíduo vence na vida quando trabalha e estuda para tal. As exceções óbvias no Brasil são os políticos e jogadores de futebol. Nos países civilizados vale a regra geral. Mas queria contar duas informações que tenho, as quais me deixaram comovido pela verdade crua que relatam. Há tempos, em Palmeira das Missões, tinha um amigo que trabalhava muito e prosperava igual. Um dia me contou da pobreza da infância: “Quando eu era pequeno, no interior de Sarandi, muitas vezes, nossa única comida era os macacos que meu pai caçava”. Há dias um jogador do Grêmio relatou a infância: “Éramos muito pobres. Às vezes, à noite, sem ter o que comer, com fome, eu chorava para minha mãe pedindo comida e ela, sem poder prover, me dizia – tome um copo de água quente e vá dormir”. Vejam vocês o que é a pobreza em seus mais tristes relatos. Nenhum dos dois pensou em virar bandido e assaltar o próximo. Ou arrumar emprego e desviar o dinheiro do patrão. Quem sabe mendigar na esquina ou filiar-se ao MST? Acharam o seu caminho, entre os caminhos que só a democracia tem. Lutaram, trabalharam, perseveraram. Venceram. Nem todos que agem assim chegarão ao patamar alcançado pelos exemplos dados. Mas o bem estar  vencer na vida – este prêmio é certo.

Piadinha cu de sapo

Uma certa manhã, Dilma, presidente do Brasil, ficou surpresa ao
ler a seguinte notícia nos jornais:
"Maria Sebastiana, uma jovem mãe brasileira, não assistida
por qualquer Bolsa do governo, residente em Brasília, registra
em um cartório da Capital Federal, seus dois filhos gêmeos,
recém-nascidos: uma menina e um menino, com os nomes 
de Dilma Brasil."
Honrada pelas circunstâncias, Dilma decide visitar a mãe
em questão, para mostrar seus agradecimentos pela decisão
de dar a seus filhos gêmeos o seu próprio nome e o nome do
país que preside.
Ao chegar à modesta residência da jovem mãe, encontra
Maria Sebastiana dando de mamar  para a bebê Dilma;
a Presidente reitera seus agradecimentos e pergunta para
a mãe dos gêmeos: 
- Aonde está Brasil, o irmãozinho dessa querida esfomeada
que não para de mamar?
Maria Sebastiana responde que Brasil está
dormindo profundamente faz bastante tempo...                                   
Estranhando a resposta, Dilma pede para que a mãe
desperte o garoto para que assim a Presidente tenha a
oportunidade de vê-lo.
A resposta de Maria Sebastiana deixa a presidente sem fala:
- Senhora presidente, acho melhor não acordar 
 o Brasil... porque, se o Brasil desperta, Dilma deixa de mamar!

Presente de aniversário

Família em Espírito de Natal

Para Maga Nidia, Dilma vive cassação branca

Fundadora e ardente militante do PBF por décadas, a professora Maga Nidia Piraca diz que há “uma responsabilidade política indireta patente” da presidente Dilma Rousseff pelos escândalos na Petrobrás e pergunta: “Como você é ministro de Minas e Energia, chefe da Casa Civil e presidente da República e tudo isso acontece?”.
Maga Nidia diz que há um “buraco negro no Brasil”, critica a “herança maldita” que Dilma deixou para seu segundo mandato e opina que a “terceirização” da economia para o ministro Joaquim Levy e a política para o vice-presidente Michel Temer caracteriza “quase uma cassação branca de um governo que acaba de ser eleito”. Em entrevista ao Jornal do Brasil, porém, ela é cautelosa ao falar sobre impeachment. Diz que “não se pode enveredar por uma aventura” nem “passar por cima da materialidade dos fatos”.

Consulta

Médico Esperto


Os desarmamentos


Ciduca Barros
PRIMEIRO DESARMAMENTO – Em junho de 1919, foi assinado em Paris o Tratado de Versalhes, que foi, entre outras coisas, o acordo que encerrava a Primeira Guerra Mundial (1914–1918). Naquele tratado, a Alemanha, a grande derrotada daquela guerra, além de perder grande parte do seu território, também ficou terminantemente proibida de aumentar o seu contingente militar e, principalmente, de fabricar armas. Era, portanto, um desarmamento, já que o seu material bélico, ou o que sobrou dele, foi apreendido pelos aliados.  
E o que aconteceu a seguir? Adolfo Hitler, literalmente rasgando o Tratado de Versalhes, construiu um novo arsenal de guerra e rearmou a Alemanha, com a Europa pacificamente observando os nazistas e sem nada fazer. E daí, o que aconteceu?  O Fuhrer Adolfo Hitler levou, novamente, a Europa (e o mundo) à Segunda Guerra Mundial, acarretando a morte de cerca de 50 milhões de pessoas. 
SEGUNDO DESARMAMENTO – Em 2012, o Governo Brasileiro implantou a Campanha Nacional do Desarmamento. Com um forte apelo na mídia nacional, concitou à população brasileira a entregar as suas armas. O que aconteceu? Milhões de bons cidadãos (apenas os bons, é claro), mansamente, atendendo ao apelo governamental, entregaram as suas armas.
Agora o que estamos vendo? Marginais (ou maus cidadãos que não foram desarmados) praticam, a toda hora e em qualquer lugar do Brasil, assaltos (com requintes de crueldade, inclusive com mortes) sem que o mesmo governo, que desarmou a população de cidadãos ordeiros, tome uma séria, drástica e definitiva providência. 
E então, vocês também não acham que são dois filmes bem parecidos?
Escritor, funcionário aposentado do BB e colaborador do Bar de Ferreirinha


Bibica participou de encontro do PBF na Paraiba

O empresário Bibica Di Barreira (PBF) participou ontem, em João Pessoa, na Paraíba, de encontro estadual do Movimento PBF, que reuniu as principais lideranças a nível estadual. Estavam presentes no local prefeitos, vereadores; dirigentes e a militância do PBF.
Na ocasião, Di Barreira parabenizou o PBF pela realização do evento. “Parabenizo os lideres e demais integrantes do PBF pela bela iniciativa de se reunir para discutir o presente e o futuro”. Ao fazer um panorama da conjuntura política nacional, Bibica destacou alguns pontos da resolução política do PBF, retirada durante reunião da Executiva Nacional do partido.
Bibica reforçou a posição contrária ao PL 4330, que trata da regulamentação da terceirização, e conclamou a militância para que se mantenha vigilante e mobilizada em prol das reformas que o Brasil precisa, dentre elas a Política.


Penitência

Pedofilia Católica


Epitáfio

Vinicius de Morais...

Aqui jaz o Sol
Que criou a aurora
E deu luz ao dia
E apascentou a tarde

O mágico pastor
De mãos luminosas
Que fecundou as rosas
E as despetalou.

Aqui jaz o Sol
O andrógino meigo
E violento, que

Possuiu a forma
De todas as mulheres
E morreu no mar.

Rodeio



segunda-feira, 20 de abril de 2015

Diretor da RYFFS participa de reunião sôbre situação da Casa do Estudante de Ipueira

Membros da diretoria da RYFFS Corporation estiveram participando ontem a noite da reunião promovida pelos estudantes caicoenses que moram na Casa do Estudante de Ipueira para tratar a situação caótica vivenciada pela entidade.
Para Ronaldo Bama, 2° Vice-presidente da RYFFS, “o investimento em educação deve ser prioridade para uma sociedade que queira desenvolver-se, tendo o apoio estudantil dado pelo poder público fundamental importância nesse processo, e a Casa do Estudante de Ipueira não merece continuar sofrendo”. Com as discussões realizadas, espera-se que as soluções apontadas possam resolver o problema da residência, que abriga 604 estudantes de Caicó.
.

O conquistador

E foi assim que saporra pegou todas humor fetico


Seminário do Meio Ambiente da UTB será no Campos de Laginhas

O Departamento de Políticas Sociais da Universidade de Timbauba dos Batistas (UTB) promove o seminário “Socioeconômico do Meio Ambiente e Política Ambiental” amanhã, a partir das 11h, no auditório do Campos de Laginhas, localizado na principal avenida do distrito.
O professor Zanata Alexandre é o convidado para ministrar a palestra de abertura destacando o tema: " Chuva Neco". O professor Hudson Pirulito, do Programa de Pós-Graduação em Medicina participa como comentarista da palestra.

Ciúme fela da puta

ciumes


Dentadas

O mundo está cheio de idiotas, distribuído de certa maneira, que você  encontra pelo menos um por dia.

                                                                                                             *Caco Dentão*


Dentista moderno

destista macabro

 

Á espera

Por Augusto Soares...

Uma luz de lua a iluminou,
ali estava seu corpo
sedento, suado
á espera.


As formas curvas
se viam tenuemente,
enquanto me provocava
com seus olhos fechados
e sua boca entreaberta.

Elevando sua cintura
abriu suas longas pernas,
para que sua mão,
de esplendidos dedos
se perdessem nesses outros lábios
lubrificando com infinito prazer
o caminho proibido
para eu ingressar

O desejo me acende
mil velas em meu corpo
e frente a ela tremulo,
deixo cair meu gozo em sua boca,
esquecendo que outro corpo
como o meu
me esperava em seu leito.

Amanhã

tem algo pra comer


domingo, 19 de abril de 2015

A próstata do velho seridoense


Ciduca Barros
Um belo dia ele foi ao banheiro e não conseguiu urinar. E agora? Partiu para um centro maior, pois segundo ele mesmo disse: “com a saúde ninguém brinca”. Logo que o velho sertanejo chegou, com a utilização de sonda uretral o médico resolveu, a princípio, o problema do velho sertanejo. 
Em seguida, o médico pediu uma bateria de exames laboratoriais e ultrassonográficos. O resultado dos exames não poderia ser pior. O que dizer da saúde de um homem octogenário, que sempre levou uma vida desregrada e sem controle médico? Com os resultados dos procedimentos laboratoriais nas mãos, o médico iniciou a entrevista com o calejado sertanejo.
– O senhor fuma?
– E muito, há quase 70 anos!
– Pois o senhor precisa parar, imediatamente. Comprovadamente, a nicotina e outros produtos tóxicos contidos no tabaco são lesivos ao corpo humano. O senhor toma café?
– E muito! É sempre uma xícara, antes do cigarro.
– Pare! A cafeína também é lesiva à sua saúde. O senhor bebe?
– Diariamente! A minha cachaça antes do almoço é sagrada. Nos fins de semana tomo as minhas cervejas.
– Também deve parar, imediatamente. O álcool é outra droga que está minando a sua saúde. Como é a sua alimentação?
– Doutor, eu sou um sertanejo do Seridó! A minha alimentação é carne de sol com uma capa de gordura, corredor de boi, buchada, rabada, tapioca com manteiga líquida (manteiga de garrafa), queijo de manteiga, feijão temperado com nata e arroz com queijo, linguiça de porco e a minha sobremesa é chouriço e alfenim. No lanche da tarde como sempre um  doce de goiaba com queijo de manteiga.
– Modere também com esse tipo de alimentação. O senhor vem se envenenando e, nitidamente, se observa isto no seu exame de sangue. 
O médico agora visivelmente impactado continuou a sua entrevista:
– E como é a sua atividade sexual?
– Doutor, eu estou separado da minha velha. Arranjei uma mulher nova e trepo quase todos os dias.
– Seu José, estou pasmado com a extravagância que o senhor faz com a sua saúde. Não sei como o senhor ainda está vivo. Seja mais parcimonioso com a sua vida sexual. O senhor precisa dar um alívio à sua próstata, que está enorme. Agora, entre ali naquela sala. A enfermeira vai lhe preparar e, em seguida, eu vou lhe fazer um exame tópico.
Quando o médico entrou na sala, de luvas, com o dedo em riste e lambuzado de vaselina, o sertanejo idoso e cheio de calos estava parado, no meio da sala, com as calças arriadas e a cara de “poucos amigos”, e despejou logo a sua preocupação.
– O que vai acontecer aqui, doutor?
– Terei que lhe fazer um toque retal, exame muito útil para diagnosticar algum problema maior na sua próstata. 
Aí, foi a gota d’água para o velho seridoense. Ao tempo em que foi subindo as suas calças, ele foi manifestando o seu protesto, com vigor:
– Escute aqui, Doutor! O senhor não quer que eu fume; não quer que eu beba; não quer que eu tome café; não quer que eu me alimente direito; não quer que eu trepe e ainda quer enfiar o dedo no meu cu! Foda-se com o seu tratamento!
E voltou para Caicó sem fazer aquele incômodo, mas necessário exame.

Valeu

met
Pênalti perdido por Diego Cavalieri no clássico Botafogo e Fluminense vira piada na web

Adeus cabaço

Essa doeu


Presidente do PBF se reúne com lideranças do Seridó

O suplente de vereador e presidente do PBF de Timbaúba dos Batistas Biró de Silon, e o líder ruralista de Ipueira Toinho de Aníbal, estiveram no fim da tarde de ontem, reunidos com o presidente do PBF de Caicó Caco Dentão. A reunião ocorreu na sede da RYFFS Corporation.
Na ocasião, Caco Dentão ressaltou a importância da Reforma Política para o futuro do Brasil, e o fortalecimento da legenda no Estado, tendo vista o pleito eleitoral do próximo ano. “Estamos buscando fortalecer o nosso partido no RN, por isso, é muito importante levar a discussão da Reforma Política para todo Estado. Quero debater esse tema com a população, e como membro da comissão que está à frente deste assunto preciso ouvir todos os setores da sociedade”, destacou Caco.

Tá chegando




Dentadas

EXISTE TRÊS CACHORROS PERIGOSOS:A INGRATIDÃO, A SOBERBA E A INVEJA. QUANDO MORDEM DEIXAM UMA FERIDA PROFUNDA.
CACO DENTÃO

Sem moral



Minha doce puta

Por Douglas Mondo...

No olhar mais meigo,
nos lábios mais pecadores
pousei minhas venturas
e todas minhas dores.
Aqueles seios puros quisera,
mas já foram bebidos
por todas as bocas da terra.
Pouco me importa.
Sou feliz quando abre a porta
e etérea se escancara
em pernas de formosura e vida torta.
Mesmo o cheiro barato em teu corpo
de perfume de esquina de mil homens,
não tiram o cristalino sorriso da tua infância.
E me lambuzo das tuas fantasia,
deposito meus versos em teu corpo
e te faço musa das minhas poesias.
Minha doce menina puta!

Bate e volta


mala de viagem de uma mulher

O marido liga para sua casa em Caicó, a mulher atende:
– Alô
– Oi querida, tudo bem? Tô te ligando que surgiu uma reunião amanhã de manhã em Cruzeta, e pensando aqui, eu poderia te esperar na rodoviária e iríamos nós dois, a gente janta lá hoje e volta amanhã. Que acha?
– É lógico que topo, amor!
– Então tá bom, vou comprar as passagens para às 18 horas e te espero na rodoviária então.
– Tá bom, só vou arrumar minhas coisinhas e te encontro lá. Beijo.
– Tchau, beijo.

Piadinha cu de cobra

Uma mulher na sala de parto prometeu a si mesma que o primeiro nome que gritasse na hora da dor seria o nome do filho dela.
Sentindo muita dor durante o parto, a mulher gritou:
- Ai "Capeta"...
E o nome do filho, pobre menino, ficou sendo esse.
Algum tempo depois estava grávida novamente, e fez a mesma promessa da ultima vez.
No parto, novamente com muita dor gritou:
- Ai Buceta! 
E a pobre criança assim foi batizada.
Alguns anos depois, todos estavam se arrumando para ir a igreja, e o filho dela resolveu ir na frente.
Chegando lá o pastor começa a falar:
- Sai "Capeta"! Desaloja!, Sai "capeta!"
O menino (o Capeta de batismo) saiu chorando.
O pastor foi atrás dele e perguntou:
- Por que você esta indo embora, meu filho?
- Porque o senhor que mandou!
- Me diga qual é o seu nome? 
- Capeta. 
E o pastor, assustado, pergunta:
- Cadê sua mãe, que eu quero falar com ela.
Rapidamente o menino responde: 
- Ela tá atrasada. Ficou lá em casa penteando o cabelo da Buceta!